Loading

Aluna da USP que veio da periferia cria crowdfunding para chegar a Harvard

Nascer na periferia e ingressar numa universidade pública de ponta é um obstáculo para a grande maioria. Algumas exceções conseguem. Esse foi é o caso da jovem Nathalia Oliveira. Ela conseguiu ser aprovada no vestibular mais difícil do país, o de Medicina na USP. Agora, ela quer dar mais um passo que para muitos seria impossível: entrar na famosa Universidade de Harvard.

Nathalia se dedicou aos estudos desde pequena, incentivada pelo pai e pelo avô. Sempre foi destaque. Ela conseguiu uma bolsa em um cursinho quando acabou o Ensino Médio. Foram de três anos de extrema dedicação, estudando em média 16 horas por dia, até ser aprovada em cinco faculdades diferentes. A jovem escolheu a USP.

Na facul, Nathalia não ficou restrita à sala de aula e se engajou em vários projetos sociais. Ela tem a oportunidade de fazer pesquisa em Harvard, mas precisa arrecadar uma boa quantia de dinheiro para conseguir concretizar o sonho. O projeto em Harvard tem duração de um ano, focado em pesquisas em Nanotecnologia e Nanotoxicologia.

A bolsa só cobre os valores acadêmicos e seguro saúde, mas não inclui o restante do custo de vida. Nathalia fez um cálculo e descobriu que precisaria desembolsar US$ 16.000 para viver um ano na cidade de Boston. Colocou na balança um monte de coisa, como aluguel, alimentação, transporte e as passagens.

Desse montante, ela já conseguiu cerca de US$ 10.000. Uma parte veio de um trabalho num cursinho e vendendo doces. O banco Santander fez um patrocínio de US$ 6.000. Ainda falta conseguir R$ 28.391. Nathalia criou uma campanha de crowdfunding no Catarse para obter o que falta.

E falta pouco!!! Ela já conseguiu (até o momento do post) R$ 16.605. Se você quiser ajudar, clique aqui e veja mais infos.